Psicologia & Comportamento

Como desenvolver a autoestima do seu filho

João Carlos
Escrito por João Carlos

5 princípios básicos que ajudam a desenvolver a autoestima do seu filho.

Não é novidade para ninguém que a autoestima é uma das principais colunas que sustentam nossa saúde emocional. Ela é um elemento fundamental para quem deseja um melhor desenvolvimento, e claro, não apenas na carreira profissional, mas absolutamente em tudo na vida.

Todos vivem em busca de atingir um bom nível de autovalorização e autoconfiança, mas infelizmente muitos de nós carregamos marcas de uma infância má desenvolvida onde fomos negligenciados em alguns aspectos. Com o tempo podemos nos recuperar de alguma forma, mas certos estragos jamais serão desfeitos.

Nossos traços de personalidade, temperamento, e a tão cobiçada autoestima, são todos definidos logo nos primeiros anos de vida. E é correta a afirmação onde alguém diz que a criança é uma página em branco onde você imprime nela o que quiser. Essa afirmação expressa bem a gravidade e a seriedade que os pais têm sobre seus filhos. No entanto, muitos parecem não entender o tamanho da responsabilidade ao qual foram imbuídos, e parecem não levar a sério a saúde emocional de suas crianças.

Algumas medidas precisam ser tomadas imediatamente para que nossos filhos cresçam mentalmente saudáveis.

Entenda que a culpa é sua. Sim, a culpa é toda sua.

Se você anda insatisfeito com o mau comportamento de seu filho, entenda que a culpa é sua. É difícil aceitar, mas é a verdade. Você é o grande exemplo do seu filho, é o modelo ao qual ele se espelha para se relacionar com as pessoas. Antes de criticar seu filho, faça uma autoanálise. Provavelmente você encontrará os mesmos padrões de comportamento que critica. Como estamos falando sobre autoestima, verifique como anda a sua.

Dedique um tempo exclusivamente para o seu filho.

Você é a maior referência de amor do seu filho, de modo que todo o conceito de afeto que será desenvolvido nele terá vindo de você. Isso talvez explique como às vezes pessoas se apaixonam por quem não lhes dá atenção e não gosta delas. O que é um indício claro de uma baixa autoestima. Quando o pai e a mãe não dedicam atenção exclusiva para seus filhos eles são condicionados a mendigar o amor dos pais, e levarão este comportamento adiante pelo resto de suas vidas.

Se você já notou que seu filho faz coisas erradas só para chamar atenção, então está na hora de você rever se está dando a atenção devida.

Por mais que seja cansativo, dedique um momento do seu dia para conversar e brincar um pouco com ele. Não importa por quanto tempo desde que seja constante. É importante que você valorize a companhia de seu filho.

Ele tem o direito de errar.

Me revolta ver pais que brigam com seus filhos porque eles erraram em alguma tarefa, ou não fizeram as coisas do jeito que eles queriam. Se tem alguém nesse mundo que tem mais direito de errar, são as crianças. Precisamos compreender que elas são inexperientes, imaturas e cheias de limitações. Não podemos julgá-las da mesma maneira como julgamos um adulto. Dê liberdade para que ela erre. Deixe-a desfrutar desse direito. Talvez seja a única fase da vida em que ela o terá.

Não brigue e nem faça pouco caso com o seu filho quando ele disser coisas sem sentido, deixe-o se expressar. Ele precisa ter voz em casa e saber que sua opinião é ouvida e considerada (ainda que seja algo sem sentido). Isso o manterá longe da insegurança e o ajudará a crescer confiante para expressar suas ideias sem ter medo do que os outros vão pensar sobre ele.

Não compare seu filho com ninguém.

Não faça comentários comparativos do tipo: – “Seu coleguinha fulano não faz isso”. – “O ciclano é mais esperto que você”.

Tudo isso prejudica muito o desenvolvimento emocional do seu filho. Ele crescerá com uma péssima percepção de si mesmo e com uma tendência enorme ao vitimismo. Por mais que a intenção seja boa, não será dessa forma que você irá motivá-lo.

Elogie intenções e não resultados. Deixe bem claro para ele que você admira o esforço e não apenas o que ele conseguiu fazer.

Saiba dizer “Não”.

Muitas crianças crescem mimadas e sem limites devido à falta de autoridade dos pais. Como eu citei anteriormente, elas são altamente observadoras e encontrarão uma forma de manipula-lo. Se você disser que vai castigar ela por ter feito alguma besteira, mantenha sua palavra até o fim. Reconhecer em você uma figura de autoridade vai desenvolver em seu filho a sociabilidade e a capacidade de superar as adversidades e frustrações que enfrentarão na vida adulta.

Conclusão: Lembre-se que seu pequeno depende de você inclusive no aspecto emocional. Eles são extremamente observadores e aprendem rápido. Usufrua do poder de influência que você tem sobre ele de modo benigno e cauteloso. A responsabilidade está toda em suas mãos.

 

 

Sobre o autor

João Carlos

João Carlos

João Carlos é um maltrapilho anônimo brincando de ser escritor. Em dias comuns, trabalha para sustentar seu vício em café e chocolate. Na folga, gasta a maior parte do seu tempo colecionando pensamentos subversivos. Repudia clichês, mas não resiste a uma alma sincera.