Desenvolvimento Pessoal

Excesso de informação produz mentes inquietas.

mente inquieta
João Carlos
Escrito por João Carlos

Estresse e ansiedade estão entre as principais consequências devido ao uso exagerado de mídias sociais.

Hoje em dia muito se fala sobre o excesso de informação e suas consequências, embora já pudéssemos imaginar que a Era da informação traria consigo esse efeito colateral, não poderíamos imaginar que seríamos tão afetados por essa revolução. Ao mesmo tempo em que o livre acesso graças à democratização na internet foi útil, também sofremos com o derramamento de centenas de conteúdos diariamente, sendo em sua maioria irrelevantes.

O uso abusivo de redes sociais, sites de notícia e interatividade ganharam mais força com a chegada dos smartphones. Hoje temos o mundo em nossas mãos. Para alguns, o celular é como se fosse um cérebro onde estão armazenadas todas as informações de que precisam. Antes, para resolver um problema era preciso acessar as memórias contidas na mente, hoje, basta acessar o “google”. Com isso, nossa capacidade de assimilar informações e refletir sobre elas diminuiu drasticamente, já que não precisamos mais forçar a memória para lembrarmos do que aprendemos. Tudo isso sem contar que o consumo exagerado de mídias sociais afeta negativamente a forma como nos relacionamos no mundo real, uma vez que elas criam uma falsa sensação de que estamos nos relacionando, passamos a nos sentir mais à vontade atrás da tela de um computador ou smartphone do que ter que lidar com a imprevisibilidade de estar cara a cara com alguém.

Com o excesso de informações tendemos a desenvolver o que os budistas chamam de mente de macaco. (Não, você não está virando um chimpanzé.) Significa uma mente inquieta e desorganizada, porque é como se nossos pensamentos pulassem de galho em galho em pensamentos aleatórios. Não conseguimos focar nossa atenção em nada e facilmente nos distraímos com qualquer coisa.

Abaixo estão algumas dicas que podem ajudar a controlar os danos causados por essa avalanche de informações do dia a dia e com isso melhorar nosso foco e concentração.

Aprenda a ficar “offline”

O mau uso da internet é um dos principais fatores que nos conduzem a esse “overload”.

Em primeiro lugar, ponha limites no tempo em que gasta na web. É comum pessoas perderem horas do dia navegando no “facebook” ou “instagram”, por exemplo. Isso só irá servir para perturbar a sua mente e estressá-la ainda mais com o excesso de informações, que na maioria das vezes são irrelevantes. Se não consegue se controlar, uma dica é desinstalar os aplicativos do seu celular que fazem você gastar muito tempo.

Se você checa o seu “facebook” de dez em dez minutos, é sinal de que você está com um reflexo condicionado, ou seja, se transformou em um hábito que é feito de forma automática. É a mesma sensação de quando abrimos a geladeira apenas para olhar. Desinstalar o aplicativo te ajudará a controlar esse impulso.

“Reinicie” seu cérebro

A meditação é uma ótima prática para restauração do equilíbrio mental. Você reduzirá consideravelmente a frequência do seu cérebro, proporcionando paz e controle sobre seus pensamentos novamente. Para meditar, retire-se para um lugar silencioso onde não haja interrupções, você pode sentar-se confortavelmente em uma cadeira com a coluna reta. Feche seus olhos e foque sua atenção na respiração, inspirando e expirando calmamente até que seu corpo esteja totalmente relaxado. Tente manter sua mente vazia, mas não force caso pensamentos invadam sua cabeça, deixe que passem aos poucos e só então retorne a atenção para a respiração. Pratique de 10 a 15 minutos. Quando terminar, sentirá sua mente mais serena e com as energias revigoradas.

Observe a natureza

Um cenário com um céu azul e algumas nuvens brancas pode ser revigorante para alguns e pode ajudar bastante a silenciar a mente. Não importa onde você estiver, às vezes ir à janela do seu prédio ou de onde você trabalha podem lhe proporcionar alguns minutos de paz. Contemplar a natureza é também uma das formas de restaurar o equilíbrio emocional e aliviar a ansiedade.

A internet pode ser uma ótima aliada nas mãos de quem sabe usar. Defina seus limites e aproveite melhor essa ferramenta para que ela seja sua amiga e não uma inimiga.

Sobre o autor

João Carlos

João Carlos

João Carlos é um maltrapilho anônimo brincando de ser escritor. Em dias comuns, trabalha para sustentar seu vício em café e chocolate. Na folga, gasta a maior parte do seu tempo colecionando pensamentos subversivos. Repudia clichês, mas não resiste a uma alma sincera.