Insights

Aquele “eu” que todos amam. Menos eu.

Karla Kratschmer
Escrito por Karla Kratschmer

Aquele eu que está prestes a explodir. Só que ninguém vê.

Por Karla Kratschmer

Aquele eu que fala manso, baixinho. Que quase ninguém ouve, mas costumam achar elegante. Elogiam.

Aquele eu que nunca fala nada, não questiona o troco a menos ou a comida errada.

Aquele eu que pensa que não vale a pena “brigar”. Aquele eu que acha que vai desagradar.

Aquele eu que está mal, triste, passando por situações difíceis, mas escuta por horas a amiga falar sobre si sem ter a oportunidade de falar de si também.

Aquele eu que só se preocupa com o outro, com o que está pensando, como está se sentindo, se está bem ou se está mal.

Aquele eu que quase nunca perde o controle, e que quando perde dá uma resposta “meio torta” e depois se arrepende.

Aquele eu que pede desculpas por tudo, que tem medo de contrariar, de magoar. Que vive sentindo culpa.

Aquele eu que se molda ao desejo do outro.

Aquele eu que fala manso, mas que por dentro está gritando porque guardar tudo machuca, dói.

Aquele eu que somatiza tudo, e depois sofre com enxaquecas, dores de garganta, gastrite.

Aquele eu que está prestes a explodir. Só que ninguém vê.

Aquele eu que todos amam. Menos eu.

(O texto tem por objetivo “ilustrar” a somatização e o mal que ela faz)

Fonte
Originalmente publicado no site Psicóloga Karla Kratschmer.

Sobre o autor

Karla Kratschmer

Karla Kratschmer

Karla Kratschmer é psicóloga e atende adultos, adolescentes e casais em seu consultório particular localizado na cidade de São Paulo, bairro Chácara Santo Antônio.

Contato: (11) 9-9613-5444