Música

Se eu quiser falar com Deus – Gilberto Gil • Análise de Letras

se eu quiser falar com deus
João Carlos
Escrito por João Carlos

Essa canção tem a intenção de ser um grito num mundo cheio de certezas acerca de Deus.

Se eu quiser falar com Deus – Gilberto Gil

“Se eu quiser falar com Deus
Tenho que ficar a sós
Tenho que apagar a luz
Tenho que calar a voz”

Silêncio e solidão é fundamental para ter um encontro com Deus. Será impossível ouvir sua voz sem que não calemos a nossa.

“Tenho que encontrar a paz
Tenho que folgar os nós
Dos sapatos, da gravata
Dos desejos, dos receios”

Precisamos aquietar a nossa alma, como uma criança quando deita no colo de seu pai. Não deve haver nenhum tipo de preocupação, medo ou ansiedade em nós.

“Tenho que esquecer a data
Tenho que perder a conta
Tenho que ter mãos vazias
Ter a alma e o corpo nus”

Temos que nos perder no tempo. Perder a lógica. Abrir mão das barganhas. Saber que dele não há nada que se possa esconder.

Se eu quiser falar com Deus
Tenho que aceitar a dor
Tenho que comer o pão
Que o diabo amassou”

Para quem se aproxima de Deus, é necessário que saiba aceitar a dor. O sofrimento é o elemento responsável por nos fazer crescer em todos os aspectos da vida.

“Tenho que virar um cão
Tenho que lamber o chão
Dos palácios, dos castelos
Suntuosos do meu sonho
Tenho que me ver tristonho
Tenho que me achar medonho
E apesar de um mal tamanho
Alegrar meu coração”

O sofrimento nos conduz à humildade. Para alguém que se aproxima de Deus, é necessário que seja reduzido ao nada. E ainda assim, sentir-se satisfeito.

“Se eu quiser falar com Deus
Tenho que me aventurar
Tenho que subir aos céus
Sem cordas pra segurar”

Não há espaço para insegurança ou medo nessa busca. Devemos nos jogar em seus braços confiando que ele irá nos segurar.

“Tenho que dizer adeus
Dar as costas, caminhar
Decidido, pela estrada
Que ao findar vai dar em nada
Nada, nada, nada, nada
Nada, nada, nada, nada
Nada, nada, nada, nada
Do que eu pensava encontrar”

Nessa viagem só há passagem de ida. Devemos dar adeus a tudo. E quando finalmente encontrarmos com Ele, veremos o quanto todas as nossas convicções eram tolas. Afinal, poderíamos nós, com tantas limitações, entender um Deus ilimitado?

Ouça:

 

Sobre o autor

João Carlos

João Carlos

João Carlos é um maltrapilho anônimo brincando de ser escritor. Em dias comuns, trabalha para sustentar seu vício em café e chocolate. Na folga, gasta a maior parte do seu tempo colecionando pensamentos subversivos. Repudia clichês, mas não resiste a uma alma sincera.